TECNOLOGIA
Show

Melim e Jau realizam ‘Baile da Primavera’ dia 22 de setembro na Área Verde do Othon

20% de desconto Quero esse desconto
No dia 22 de setembro, vai rolar a primeira edição do ‘Baile da Primavera’ na Área Verde do Othon, em Ondina e quem vai comandar a festa é a banda Melim e o cantor e compositor baiano Jau. O evento que tem assinatura da Íris Produções começa a partir das 18h e tem ingressos à venda no Pida, Balcão de Ingressos, Lojas South, Balcão Mais Ingressos e Safeticket (APP e Site). Conhecido pela mistura temperada do reggae com o pop, a MPB e influências internacionais, além do estilo ‘good vibe’, o grupo Melim é formado pelo trio de cantores que fizeram estreia em rede nacional no Programa Super
Star da TV Globo e vem conquistando uma legião de fãs por onde passa. Os irmãos trazem no repertório canções conhecidas e de sucesso entre o público como ‘Meu Abrigo’, ‘Hipnotizou’, ‘Confusão’, dentre outras. Já essencialmente inspirado pelo amor, dono de uma elegância criativa e sonoridade única, com originalidade melódica e poética, Jau se destaca pela batida percussiva afro-baiana com músicas que não podem faltar no seu set list, como ‘Café-com-pão’, ‘’Amar é bom’, ´Se joga’, ‘Vixe Mainha’ e muito mais.

Mais sobre Melim
Quem vê os irmãos Melim tocando juntos - com muito sucesso, diga-se -, deve imaginar que eles cresceram fazendo o maior som, transformando a casa em Niterói (no Rio de Janeiro) em um palco permanente. Errado! Diogo e Rodrigo, que são gêmeos, e a caçula Gabi só se conectaram, musicalmente falando, há pouco tempo. Mas a química deu tão certo que o sucesso foi apenas consequência. Com a mistura temperada de reggae, pop, MPB e influências internacionais, o estilo “good vibe” e o vocal harmonioso do trio conquistou rapidamente uma (fiel) legião de fãs. E esse número promete aumentar mais ainda. É que, depois de lançarem um bem-sucedido EP no final do ano passado, a banda
Melim chega agora com um álbum recheado com 16 músicas autorais.
O clima de romance já se faz presente na faixa de abertura, “Meu Abrigo”, de versos apaixonados como “Você é a razão da minha felicidade / Não vá dizer que eu não sou sua cara metade”. O balanço delicioso dá o tom do que está por vir. Em “Ouvi Dizer”, que ganhou um music video, a voz afinadíssima de Gabi conduz a melodia. “A paz se multiplicou / Que bom que você chegou / Pra somar”, canta ela. Cheia de suavidade, “Transmissão de Pensamento” mantém o clima amoroso: “Suficiente é pouco / Você é mais que o dobro / Supera todo o meu querer”. Com o violão fazendo a cama, e um assobio para pontuar, “Dois Corações” é um dos grandes momentos do trabalho.
“Somos pão e padaria / Piano e melodia / Filme e pipoca”, diz a letra, que ainda traz o belo verso: “Vi que era amor quando te achei em mim e me perdi em você”. Entre faixas mais dançantes como os reggaes “Confusão” (como frases espertas como “Já me disseram que os opostos se atraem / E eu nem sei se é verdade, mas / Nossas diferenças já se dão tão bem”) e “Era Pra Ser Outra Canção” (“Sem teu amor eu vivo na pobreza / Sem teu carinho tudo é incerteza”), eles flertam com o pop de clima anos 80 em “Mergulho no Mar”, que poderia muito bem estar no repertório de um Lulu Santos
ou de uma Fernanda Abreu. “Tão bom navegar pelo seu sorriso / Até perder o juízo”, entoa Gabi. E o desfile de boas composições continua com “Sabe Lá”, “Maju” e “Peça Felicidade”.
Em “Hipnotizou”, os irmãos cantam: “Tô jogado aos seus pés tipo Cazuza / Vidrado nos seus olhos de Medusa”. Músicas como “Apê”, “Viva o Amor”, “Uma Lua”, “Não Demora” e, claro, o hit “Avião de Papel” (da letra “Vou fazer de um papel um avião / Pra te mandar essa canção de amor”) completam a festa. Com uma voz que passeia com tranquilidade por tantos gêneros, Gabi estreou cantando samba, quando tinha 15 anos. Aos 16, gravou seu primeiro CD, misturando criações próprias com músicas de bambas como Arlindo Cruz. Sem falas nas participações mais que especiais de João Donato e Marcelo D2, que deram aquela força ao trabalho da jovem artista. Já Diogo e Rodrigo demonstraram interesse pelos instrumentos desde muito pequenos. Estudaram violão, guitarra, piano, bateria, gaita e até acordeom, além das aulas de canto. O primeiro palco, claro, acabou sendo o colégio, onde os gêmeos arrebataram os primeiros fãs.
Foi em 2015 que o grande encontro, finalmente, aconteceu. Os três irmãos se juntaram para tocar na Feira Nacional da Música, realizada em Canela (no Rio Grande do Sul). Lá, foram vistos e aplaudidos por artistas, empresários e produtores de todos os cantos do País. E ficaram entusiasmados com a parceria familiar. Tanto que o sobrenome deles pulou da carteira de identidade para batizar a banda. A estreia oficial da Melim aconteceu em rede nacional, no programa “SuperStar”, apresentado por Fernanda Lima, no qual bateram recorde com 93% de aprovação.
Ainda na casa dos “20 e poucos”, Gabi e os gêmeos já tiveram canções lançadas por nomes importantes como Ivete Sangalo e Luan Santana (no due to “Zero a Dez”, sendo que o sertanejo também registrou “Amor de Interior”), a dupla Jorge e Mateus em parceria com Psirico (“Outras Flores”) e o grupo de pagode Sorriso Maroto (“Ela Não é Você”). “A gente curte todo tipo de som. Agora, é a vez da própria banda Melim marcar
seu lugar na linha de frente da música brasileira. Talento, inspiração e carisma, não é nenhuma novidade, os irmãos têm de sobra. Só faltava um álbum para coroar essa trajetória. E ele chega cheio de inspiração, pronto para figurar nas listas de melhores do ano.

Mais sobre Jau
Iniciou a carreira no Olodum, como autor e intérprete. Com a banda, viajou pelo mundo e participou de importantes festivais, entre eles, Montreux, Womad e Musiques Métisses. “Foi no Olodum que me entendi como ser humano, que ganhei autoestima e aprendi a lidar com multidão”, afirma. Em solo internacional, já tocou com grandes nomes, como Tracy Chapman e Joan Baez. Com Paul Simon, fez show em Nova York.
Autor de grandes sucessos, teve suas composições gravadas por inúmeros artistas: “Estrela Primeira”, na voz de Netinho; “A Camisa e o Botão”, com Claudia Leitte; “Topo do Mundo”, gravada por Daniela Mercury; “Fanfarra”, pelo Araketu, entre tantos outros. Em 2005, ao lado de Pierre Onassis, ex-parceiro do Olodum, criou a banda Afrodisíaco. Inovou, inserindo a música sinfônica, através do violino e do sopro, à batida percussiva afro-baiana. Em um ano, emplacou dois grandes sucessos, “Já é” e “Café Com Pão”, que ficou conhecida como “Vixe Mainha” e acabou dando o novo nome da banda,
no carnaval de 2006.
Cada canção de sucesso marcou a trajetória do artista que, em 2008, ao lado de Caetano Veloso, gravou a música tema do filme Ó Pai Ó. Logo depois, em trabalho solo, registrou em um cd a sua produção criativa do momento pós-Afrodisíaco e o sucesso deste registro fonográfico tomou conta da Bahia. Os shows do artista, com músicas cheia de gente e de verdade, sempre lotados, tornaram-se momentos de encontro entre uma multidão admiradora. Devolveram a autoestima aos apreciadores da boa e original música popular da Bahia. O sucesso “Flores da Favela” virou hit e o trabalho solo de Jau
ultrapassou as fronteiras do estado.
Novos sucessos surgiram. “Amar é bom”, “Se Joga” e diversos outros. Em 2011, o artista lançou o cd “Aplausos para o Sol”, produzido por Alê Siqueira (Tribalistas, Ana Carolina), reunindo esses sucessos para os admiradores do seu trabalho e as suas ideias musicais. Na sequência, como numa catarse criativa, vieram “Amanda”, “Festa de Tambor”, “Anjo Torto” e “Viral”, que resultaram no álbum “Um Pouquinho de Festa … é Bom!”, em 2013, produzido por Mikael Mutti, parceiro de Carlinhos Brown na música “Real in Rio”, indicada ao Oscar 2012 pela trilha da animação Rio, e coproduzido por Tenison Del Rey.
Em 2015, lançou o cd “Jau - Lázaro”, produzido pela cantora Vânia Abreu e pelo maestro R. Petreca. Este trabalho resultou na premiação do “Troféu CataVento” de artista revelação masculina, premiação respeitadíssima no ambiente musical brasileiro, dirigida pelo produtor musical Solano Ribeiro, um dos idealizadores dos grandes festivais de música da década de 60. O álbum também deu a Jau, através do conceituadíssimo site de cultura latina zachary-jones.com , a indicação internacional de um dos melhores discos de 2015, com destaque para a faixa “Planetário Descendente” (Jau/Tenison Del Rey).
Em 2017, lançou o álbum “Jau Natural”, e deste registro saiu o hit “Com Carinho” (Jau/Tenison Del Rey), mais uma música candidata a virar clássico na voz do artista, e o clipe “Inhá” (Jau). No ano de 2018, seguiu com a tour com mesmo nome pelo Brasil. Em 2019, Jau lançou “Alegria Odara” (Jau/Tenison Del Rey/Paulo Vascon), uma homenagem carinhosa, cheia de poesia, à Bahia e à sua gente. Atualmente, o artista, que traz o melhor da música afro-pop-baiana mais original, prepara-se para estrear o projeto “Baile da Rosa Branca” e divulgar pelo país este novo trabalho aos apaixonados pela sua arte.

Serviço:
O que: Baile da Primavera
Atrações: Melim e Jau
Local: Área Verde do Othon (Ondina)
Data: 22 de setembro
Horário: 18h
Abertura dos portões: 17h
Vendas: Pida, Balcão de Ingressos, Lojas South, Balcão Mais Ingressos e Safeticket (APP e
Site)
Ingressos: Pista - R$ 60 (meia) | Área Vip - R$ 90 (meia) -> 1º lote
Realização: Íris Produções
Informações: 3332-0614
Classificação: 14 anos
* OBS: Menores de 14 anos podem ir acompanhados dos pais


20% de desconto com o Clube Correio nas Lojas South disponível nos Shop. Norte, Paralela, Salvador, Bahia, Bela Vista, Lapa
Dia e horário Domingo - 22/09/2019, 17h
Classificação 14 anos
Onde comprar Com o Clube Correio nas Lojas South disponível nos Shop. Norte, Paralela, Salvador, Bahia, Bela Vista, Lapa
Local Área Verde do Othon
Endereço Av. Oceânica , 2294, Ondina - Salvador e RMS , 40170-010
20% de desconto Quero esse desconto

Acontecendo na cidade

Outras sessões